sábado, 21 de março de 2009

LENÇÓIS FREÁTICOS SOFREM COM A AÇÃO DO HOMEM

Além de resultar poluição do ar e do solo, a ação do homem também afeta negativamente as fontes de água doce; e não são somente os rios, lagos, nascentes e represas que têm chamado atenção dos ambientalistas: as atividades humanas podem destruir até as reservas naturais de águas localizadas abaixo do solo.

O depósito subterrâneo de água é chamado de lençol freático, que se forma a apartir da penetração das águas das chuvas nas porosidades existentes no solo, isto é, nos espaços entre uma rocha e outra.

A água vai se infiltrando nesses espaços até encontra outra camada de rocha impermeáveis e compactas.

O acúmulo dessa água entre duas camadas de rochas - a primeira porosa e superficial e a outra profunda e maciça- forma o lençol freático.


Quando se fura um poço comum, extrai-se a água de um lençol freático.

As águas extraídas por meios de poços artesianos são retiradas de um lençol mais profundo chamado lençol artesiano, da água.


Uma extensa reserva de água subterrânea é chamada de aqüífero. O maior e mais importante na América do sul é o Aqüífero Guarani, recurso natural compartilhado pelo Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai

Um lençol freático pode ser contaminado pela sua proximidade com cemitério e lixões

CEMITÉRIOS E LIXÕES
A preservação dessas águas subterrâneas tem sido uma preocupação constante para os ambientalistas.
Isto porque, tal como ocorre com o ar, às águas subterrâneas podem ser contaminadas por microorganismos nocivos, por substâncias químicas e resíduos provenientes de processos indústrias e agrícolas, por exemplo.


Pode parecer coisa de filme de terror mais um lençol, freático pode ser contaminado pela sua proximidade com cemitérios e lixões.

CEMITÉRIOS E LIXÕES CONTINUAM

No caso dos cemitérios, as centenas e até milhares de corpos humanos em decomposição são fornecedores de vários agentes potencialmente poluidores das águas das proximidades.

Muitas moradias precárias, ocupadas por famílias de baixíssima renda estão localizadas em terrenos próximos de cemitérios.


Se por deficiência ou ausência da rede de abastecimento ou por simples economia, essas famílias se abastecem de águas provenientes de poços caseiros, correm o risco de consumir água contaminada, que pode ser causadora de vários tipos de doenças.

Se o lençol freático estiver próximo de um lixão, também pode ser contaminado pelo escoamento do chamado chorume.
O chorume é resultante da decomposição das materiais orgânicos, principalmente de restos de alimentos presente no lixo domiciliar.


A legislação moderna obriga que as cidades tenham sanitários em substituição aos antigos lixões.

Os aterros são locais construídos em áreas mais apropriadas em que é obrigatória a instalação de canais de escoamento que conduzem o chorume a lagos de armazenamentos.

Na implantação do empreendimento, essa espécie de piscina de chorume recebe várias camadas de revestimento especial para impermeabilizá-la, evitando que o composto venenoso penetre no solo.


Entretanto, essa providência não atinge os numerosos lixões clandestinos que ainda se espalham, principalmente nas periferias e áreas afastadas das cidades, onde o vale- tudo permite que até animais de grande porte mortos, como cavalo e bois, sejam depositados e misturados ao lixo comum.

Portanto, se não for pela necessidade de preservar a água e o meio ambiente, por uma questão de saúde das populações locais, o poder público deveria responsabilizar-se com determinação tanto para coibir os lixões clandestinos, quanto para exercer sua obrigação de estudar muito bem a questão das águas antes de licenciar novos aterros sanitários.

POSTOS DE GASOLINA

Postos de gasolina são outra ameaça aos lençóis freáticos.

Os tanques desses estabelecimentos ficam enterrados no solo.


Eles sofrem a ação do tempo e podem ter vazamento de gasolina, álcool e óleo diesel.

Essas substâncias químicas- muito prejudiciais à saúde-podem penetrar e contaminar poços de residências próximas.

Na mesma classe de contaminação por agentes químicos podem ser incluídas as contaminações por agrotóxicos pulverizados em todos os tipos de cultivo agrícola;
Pelo uso de determinadas técnicas e substâncias na mineração; e nas atividades industriais.

Essas últimas se autodenunciam à distância, principalmente pelo mau cheiro de seus rejeitos e pela espessa e extensa camada de espuma frequentemente vistas nas águas dos rios e córregos das grandes cidades.

Em decorrência dessas atividades econômicas, cientistas avaliaram o solo e as águas subterrâneas de diferentes locais do Brasil.

A contaminação foi expressa pela presença de cromo, mercúrio, hidrocarbonetos, substâncias fosforadas e nitrogenadas.


Vários desses poluentes causam problemas de saúde de difícil diagnóstico e tratamento. Alguns, uma vez ingeridos por seres humanos e animais não podem mais ser excretados pelo corpo.

Estudiosos já comprovaram o perigo de poluição das águas armazenadas baixo do solo, pela proximidade com fossas sépticas. Ao reconhecer esse problema, a Organização Pan-Americana de Saúde passou a recomendar que as fossas sejam construídas guardando-se a distância de pele menos 20 metros de poços.
A exigência é desrespeitada ou ignorada em muitas ocasiões, locais em que pela exigüidade de espaço, banheiros e poços às vezes vizinhos, separados apenas por alguns poucos centímetros.

A destruição das matas é outra ameaça à conservação das reservas subterrâneas de água. A cobertura vegetal permite que uma quantidade maior de águas das chuvas penetre o solo. Sem a sombra e o frescor da vegetação, as águas das chuvas evaporam rapidamente.

Portanto, para garantir água doce potável, que jorre dos aqüíferos ou nascentes e abasteça e regule a vida dos rios e córregos, é preciso preservar o verde.
PESQUISA: MÃE TERRA


JORGE FERNANDO DE OLHO NA CIDADE

4 comentários:

Anônimo disse...

Seria legal se pudesse acrescentar a questão do lençol freatico de Angra, ja foi denunciado que os restaurantes da cidade usam agua deste reservatório e como sabemos aqui tem esgoto a vontade , cemiterios bastante antigos.Será que o povo que se alimenta nos restaurantes do centro estão se contaminando??Será que a prefeitura não vai brigar com vc se denunciar?

fabiana disse...

Nossa muito boa a sua materia sobre os lenções freaticos vale pois foi muito util pra mim.

Patrícia disse...

Parabéns Jorge Fernando...adorei sua materia,me ajudou a fazer um trabalho da faculdade...estou cursando Biologia..e esse e um tema muito importante para nós biologos!A vida seja ela qual for deve ser preservada,as pessoas precisam lembrar do quanto que a natureza é importante para nós seres humanos..precisamos preserva-lá..pois só assim teremos uma vida de qualidade!

Anônimo disse...

que bonito